quinta-feira, janeiro 25, 2007

O Início!

...Nao sei quando começou... apercebi-me que estava a viver várias histórias, fui despertando à medida que ia pensando, estive a sonhar e toda a vida tinha sido um sonho, o que eu conhecia do mundo e dos mundos ficou tudo registado somente em mim...
Passaram-se séculos a mais de um só dia de sono...
Toda a grandeza fisica de dimensao quase infinita tinha diminuido,tornou-se somente do tamanho de mim, o meu corpo era o próprio Universo, sentia-me arder de febre, queimado pelas feridas, dormente pelo tempo. Comecei aperceber-me das minhas dores e do meu corpo! Só queria soltar-me, libertar-me!

Tinha todas as vidas e todas as almas no meu proprio ser, estavam encrustradas em mim eu em mim proprio... Era somente eu...


Entre o sono e o acordar... Despertei, e vi tudo o que aconteceu, um Deja-vu da propria alma sobre tudo... Era um momento solitário da própria história, único sem mais ninguem...

Os meus braços e pernas começaram a endureçer, queria rebentar, queria estoirar tudo o que estava em mim, curvar-me para trás de peito para fora!

Era hora de acordar, o meu cérebro tinha deixado nas memórias as vidas e a existência passada e desejava somente recomeçar...


Um eco de fundo começou a soprar como um grito ventoso, o meu corpo era uma rocha fundida a escorrer de lava, a escuridão em redor começava a rugir...



..............................«««««««*»»»»»»»..................................


A minha cabeça rebentou num relampago atómico e todo o meu corpo ardente Explodiu Violentamente....


Tinha dado a Vida do meu corpo para que os fragmentos dessem lugar a uma nova ordem cósmica... às Estrelas, planetas, cometas, asteroides...

Tinha dado a Vida da minha Alma para que o meu ser se Espalhasse pelos recantos da Natureza, cultivando a minha inteligência nas novas formas de vida, e nos processos Naturais, amando-as como tudo aquilo que eu tinha protejendo e organizando o Universo de que tinha sido feito o meu corpo...

Tinha criado tudo o que era de mim e por isso tudo isso me era semelhante, tinha tantas Saudades da vida que tinha tido, sabia o que o mundo queria como eu o tinha vivido em pequeno como os homens...

Pequenos organismos se erguiam nesses planetas, sentia um AMOR por eles sem limite, dáva tudo de mim por eles, amava e reconstruia toda a Natureza... O Universo Expandia-se à medida que criava... EXISTÊNCIA!

Um dia cada um de vós adormecera e a vida sera tomada por um sonho para que um dia crie e ame como sonhou em VIDA!





Esta história passa-se mesmo agora e eu nao sei como conheço estas coisas...

Como sabemos coisas que não aprendemos, mas que estão certas?

quarta-feira, outubro 25, 2006

Memórias do Tempo! (1º Aniversário)

Nasci atras do seculo, quando os jardins ainda germinavam... Quando tudo em mim era intacto, so sabia amar como nasci, para Ser;

Leva os meus ressentimentos para o esquecimento e traz-me de volta...


Acordo a meio da noite, abro a janela e olho no Céu... Diante do infinito; Universo que extende o meu Ser para a Eternidade!



O nascer do sono de há momentos acordou-me para escutar... aprender pelo silencio!

Não sentes?

A conspiração nos ventos agudos? O pressentimento do destino...

Olha como se movem os séculos...

Sente no fundo... Os prantos e os fogos do passado!

Mergulha no mundo e ouve... O ranger das ruínas!

O céu fumegante, as crianças velhas!

O engenho do mundo no caminho dos tempos, o Ser que se ergue;
vontade oculta que se move...

Sobre este mundo coloco toda a minha Alma para falarmos numa só voz!



Ontem parei...

E vi os relâmpagos estremecerem as Trevas!

Senti toda a história do Homem a passar-se diante de mim!

O movimento da Terra, a atmosfera que muda constantemente...

Desceu em mim a consciência do quanto somos amados e pertencentes a quem nos projecta...

Pára um momento e atira-o para horas de contemplação, deixa a luz quente descer sobre ti; inspira o horizonte e expira todo o teu Ser. Liberta-te! Deixa as mágoas e ama quem sofre como tu; chora, doi... Escuta!



Não percas aqueles que os teus olhos viram... Espera pela noite, reune-os à tua volta e fala com eles enquanto dormem... Deseja-lhes com todo o teu Coração e viverás em todo o lado!



Regressa a ti mesmo como tu nunca te conheceste...


Espero aquele dia de Soalheira plena, que eu veja o teu sorriso dizendo-me que o fim do mundo terminou e as ávores florescem de novo. Aguardo o primeiro dia de todos, Viver como o Coração sente quando sonha...

Os meus olhos vêem outras cores no mar e no céu,... O meu Coração está vivo!

Nao me vejo morrer tal, a Alegria e Liberdade que sinto em Viver para
Sempre!




Saltando de pedra em pedra; a tua voz ecoa conheçer a minha alma...
Em ti confio, umas vezes sereno, outras culpo-me quando te escuto, inquieto-me perguntando se faço como penso; se faço como julgo, temo estar longe de mim!

O meu ser irradiou-se de um um arrepio dormente que me abraçou e me disse na voz interna o quanto era amado; para crer, lutar e esperar pela terra de sempre...
Fechei os olhos, estremeci e chorei! Desabafei toda a minha essencia, voltei a ser pequeno!

A minha memória ainda passeia pelas paredes brancas do meu quarto... Nas sombras das folhas... lembro-me como era novo o meu olhar!
O extase da paz que encontra um fragmento de um lugar Eterno!




Regresso atrás de toda a existência sinto a Luz antiga, a primeira de todas, que criou e ergueu tudo o que conheçemos Visitar o passado sem definhar. Advinhar como quem Ama tudo o que nasceu para existir, para SER, AMAR, Construir. O ínicio de tudo... Eu...

Recordo as memórias no meu coração de quem Cria.

Que a Eternidade nos lembre o inicio...




Seja feito como queres, mostra-te nos véus de luz que descem ao amanhecer e entardecer...
Inspira de sabedoria o Espirito Humano.

Chama-me, diz-me aquela palavra que estremeça de mim o maligno e me lançe para sempre!

Amo-te com todo o meu Ser;
toda a minha Força!
Com todo o meu Coraçao e Alma!




Um dia será meu! Um dia julgarei sonhar até nunca mais acordar!

terça-feira, outubro 17, 2006

Vertigem!...









Caminhando curvado nos pensamentos, encontro sempre um lugar que me conheço; extasia a minha alma, por vezes não resisto à própria força e caio...

A vertigem do medo desce dos meus olhos e afunda-se em ecuosos trovões, o meu corpo fraqueja no sono, temendo tremenda queda!

Inquietas o meu Ser, lanço as minhas palavras em canticos, procurando respostas,grito no mundo, vibro no submundo!


És musa que emerge os meus somhos sobre as águas ao luar, espirito de morte, Natureza Feminina , arrebatas toda a inquietaçao do meu Ser,
sopras frio, aluçinas os vivos, arrepias no toque!

apaixonas-me pelos teus mistérios e levas-me contigo para as montanhas de névoa negra, onde os relampagos me inquietam!
És a magia que está em mim!...

Natureza de seda fantasmagórica, viras o meu rosto para a Terra, despes a minha alma do meu corpo e lanças-me na Liberdade e nas Estrelas!...

segunda-feira, outubro 09, 2006

Inspiração de AMOR!



Talvez o futuro do desejo presente...

Se alguem me ofereceu isto que se mostre para que eu lhe agradeça com o meu destino!

Acendeste a Luz na minha escuridão, as duvidas estremeceram-te em ecos do passado,
Desci em mim e senti o quanto te amava, dos meus olhos caíram lágrimas de arrependimento e desejo de voltar...

Deixa que o amor me ponha a caminho para outras terras, que o teu olhar seja o poente de todos os meus dias, faz de nos uma historia para os outros; Deixa-me oferecer-te todas as facetas duma mulher, ontem timida, hoje um anjo, amanha mãe; Toda a vida tudo senti e sofri para conheçer o que era Amar; Entre nós, de mim sobre todas as coisas como se as tivesse criado, No final foi por ti que conheçi que toda a beleza foi criada por quem ama, Nos somos belos como o Pai e a Mãe que nos construiram o castelo do infinito e o templo das nossas almas;
Deixaram-nos o mundo inteiro e a cor de cada coraçao... O amor que te tenho despertou em mim esta subtil sabedoria;

Lembra que todo aquele que existe ama para continuar a dar ao mundo o que foi dado ao primeiro de todos nós!

terça-feira, setembro 26, 2006

A cidade do Outono



De olhos ainda fechados, oiço a tua chegada no correr da primeira chuva;
O céu enevoado anuncia que os dias de luz foram-se embora, prometem demorar;
A cor da floresta depena a meus pés, a vida falante migra e esconde-se,
somos somente nós como quem espera o ultimo juizo ao som do vagaroso trovão;
O teu feitio mudou de estação para estação no seguinte instante, levo mais tempo para crer que julgo sonhar...

e assim caio nas águas profundas que são feitas de memórias antigas que vivem nos meus sonhos, procurando relembrar quem fui, o que recordo sem me lembrar, o que vivo sem estar acordado...

A luz deste tempo doira e adoça no meu coração, extasia o estado de espirito que so vivo quando aqui viajo!

Serás memórias? Desejos futuros? O próximo mundo?

Outono, relembras o mundo que os meus sonhos tomam, ouro luzente que trespassa a fina névoa sobre os jardins que dão lugar a florestas, ao alcatrão que dá lugar à calçada, aos gatos que cedem aos lobos... tudo o que a alma engradeçe à minha casa, ao meu lugar.

Contas-me por vagas algo que eu devo saber, as vivencias despertas não me deixam recordar-te!

Assim, aguardo-te para o último dia, depois do sono ser o ensaio da morte e os sonhos serem visões do além; quando os meus olhos virem o que eu já não toco e a minha alma relembrar todos os meus sonhos...

Abro os braços no finde momento e liberto-me para o infinito!

quinta-feira, setembro 14, 2006

Vista do Céu...


A milhas da terra, procuro respirar o lugar vazio do céu, frio enevoado; sem pedras, sem historia, sem fogo; solidao de séculos, desvaneios de vento, chuva e relampagos!
Sobre asas rijas advinho como seria viver aí, ser de outra forma para te habitar como os anjos que os homens julgam existir!

Quero ver como é o sol no mar visto do céu, entre névoas e correntes de ar tanto mistério te dão, olhar-te, rever-te de novo e de novo para não te perder da memória no vão poente que se manifesta em despedida!
Contrastas as cores do mar com o azul e os astros num tom que me relembra o desejo de amar!
És anterior a toda a imaginação humana por existires antes de nós!
Sinto na tua Beleza toda a Paixao daquele que te criou e mais amado me convenço Ser!

Amo viver no quanto me falta, mas não posso deixar de reparar no Espaço das maiores ascenções, a eternidade como caminho de toda a Liberdade!

...no final, lembra-te de mim...

quarta-feira, setembro 13, 2006

DESAFIO!



Proponho a todos os que me visitam a aceitarem este desafio, com o desejo de conheçer alguns recantos curiosos do Ser e da Alma...

Passem palavra:)


1. Como te sentes?

- Com Desejo de amar

2. Cor dos olhos?

- Castanhos escuros

3. Os 3 melhores sons?

- Mar, guitarra eléctrica, Trovão

4. Nome que darias ao teu filho e filha:

- Jaime/ Ana Cristina

5. As 3 Músicas:

- Storms in África(Enya); Heavenly(Seal); She's the River(Simple Minds)

6. Os 3 Filmes:

- Inteligencia Artificial; Gladiador; Paixão de Cristo

7. Estação do ano?

- Outono

8. Nome do melhor Amigo e Amiga:

- João e Vera

9. O último dia que choraste?

- Domingo

10. A memória do último sonho em 3 palavras:

- Crianças a correrem, a casa onde vivi em pequeno, mulher sem rosto

11. Os 3 animais favoritos:

- Cão, Cavalo, Golfinho

12. Maior Paixão:

- Ir para lugares maravilhosos com quem se ama

13. Maior Dor:

- Aceitar o que não entendo, Sofrimento dos outros

14. Até aqui do que gostaste mais na tua Vida?

- Da Existencia Feminina

15. O que mais esperas?

- Amar, partir com essa força e ajudar quem precisa... o infinito

16. As 3 palavras que te definem:

- Sonhador, apaixonado, lúcido


Obrigado a todos!

(Em baixo permanece o post de anteontem)